[imprimir]

logo universidade    Bioclimatologia animal on line
                                     pesquisa e criação: Armando José Capeletto

        Bibliografia sugerida sobre Bioclimatologia, Ciências do Ambiente e Instalações zootécnicas

      1. Ecologia geral
      Obras de uso geral, nas aulas da disciplina Ciências do Ambiente:

  1. ACOT, P. (1990). História da Ecologia. São Paulo, Campus.
  2. DANI, S. U. (1994). Ecologia e organização do ambiente antrópico. Fund. Acangaú.
  3. DASHEFSKY, H. S. (1997). Dicionário de Ciência Ambiental - guia de A a Z. São Paulo, Gaia.
  4. JACOBI, P. R. (org). (1999). Ciência Ambiental: os desafios da interdisciplinariedade. São Paulo, Annablume.
  5. MARGALEF, R. (1990). Ecología. Barcelona, Blume.
  6. ODUM, E. P. (1988). Ecologia. Rio de Janeiro, Guanabara. PINTO-COELHO, R. M. (2000). Fundamentos em Ecologia. Porto Alegre, Artmed.
  7. RICKLEFS, R. E. (1996). Economia da natureza. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan.
  8. SATO, M. & SANTOS, J. E. dos. (1999). Agenda 21 em sinopse. São Carlos, Ed. da UFSCAR.
  9. TIEZZI, E. Tempos históricos, tempos biológicos:A Terra ou a morte - os problemas da nova ecologia. São Paulo, Nobel.

          2. Ecossistemas brasileiros
          Livros importantes para a preparação de seminários:
  1. AB'SABER, A. N. (1997). Amazônia: Do discurso à praxis. São Paulo, EDUSP.
  2. ALMEIDA, S. P. de (1998). Cerrado: aproveitamento alimentar. Brasília, DF, EMBRAPA.
  3. ALMEIDA, S. P. de et al (1998). Cerrado: espécies vegetais úteis. Brasília, DF, EMBRAPA.
  4. BANKS, M. (1993). Preserve as florestas tropicais. São Paulo, Scipione.
  5. BERNARDINO, F. R. Emoções amazônicas. Photoamazônica.
  6. BRASIL (MINTER Ministério do Interior). (1975). Estação Ecológica do Taim. Porto Alegre, Brasília, DF, Secretaria Especial do Meio Ambiente.
  7. BRANCO, SAMUEL MURGEL. (1994). CAATINGA - A PAISAGEM E O HOMEM SERTANEJO (C.DESAFIOS). MODERNA.
  8. BRITSKI, H. A., SILIMON, K. Z. DE & LOPES, B. S. (2000). Peixes do Pantanal. Corumbá, MS. EMBRAPA - Pantanal - tel 067 231 1430.
  9. CAPELETTO, A. J. (1999). Educação Ambiental e hipermídia: Criação do protótipo interativo "O Tesouro de Cananéia". São Paulo, PROCAM/USP Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental da Universidade de São Paulo.
  10. CORDEIRO, I. & ASSIS, C. (1994). Matas de araucárias. São Paulo, FTD.
  11. COUSTEAU, J-J. (1991). A Expedição de Jean-Jacques Cousteau na Amazônia. Rio de Janeiro, Record.
  12. DEAN, W. (1998). A ferro e fogo: A história e a devastação da mata atlântica brasileira. Cia das Letras.
  13. DIEGUES, A. C. (org.). (1999). Desmatamento e modos de vida na Amazônia. NUPAUB/USP.
  14. EMBRAPA. (1997) FRUTEIRAS DA AMAZONIA (C.BIBLIOTECA BOTANICA BRASILEIRA). Brasília, DF, EMBRAPA.
  15. FERNANDES, A. (1990). Temas fitogeográficos. Fortaleza, Stylus Comunicações.
  16. FERRI, M. G. (1980). Vegetação Brasileira. São Paulo, EdUSP.
  17. FREITAS, T. R. DE O. (1988). Levantamento da fauna de mamíferos da Estação Ecológica do Taim. Porto Alegre, UFRS/Instituto de Biociências/Depto. de Genética.
  18. HÖFLING, J. C. (2000). Introdução à biologia marinha e à oceanografia. Ed. Autor.
  19. HUECK, K. (1972). As florestas da América do Sul. São Paulo, Polígono/EdUSP.
  20. KAZ, LEONEL. AMAZONIA FLORA FAUNA. LIVROARTE
  21. KITAMURA, P. C. (1994). A Amazônia e o desenvolvimento sustentável. EMBRAPA.
  22. LACERDA, L. D. de et al (1984). Restingas - origem, estrutura e processos. CEUFF.
  23. LEÃO, R. M. - IPEF - INSTITUTO DE PESQUISAS FLORESTAIS (2000). A floresta e o homem. Piracicaba, IPEF. (encontra-se na EdUSP: 3818-4150/4008; edusp-venda@edu.usp.br)
  24. LINSKERS, R. Brasil Aventura. São Paulo, Terra Virgem.
  25. MAGALHÃES, N. W. de (1992). Conheça o Pantanal. Terragraph.
  26. MAGALHÃES, N. W. de (1999). Descubra o Lagamar. São Paulo, Eco.
  27. MATTOS, J. R. (1993). O pinheiro brasileiro. São Paulo, Artes Gráficas
  28. MONTEIRO, S. & KAZ, L. Floresta Atlântica. São Paulo, Alumbramento.
  29. MOULIN, NILSON 2000POR DENTRO DOS CERRADOS VOL.3. NOBEL
  30. NOBEL, EDITORA (1995). AVES NO PANTANAL. São Paulo, NOBEL
  31. NOGUEIRA-NETO, P. (1994). Do Taim ao Chuí: From the mouth of Rio Grande to lands and waters of the Arroio Chui. Empresa das Artes DPL.
  32. ODINETZ, H. C. Amazônia, a última fronteira. Rio de Janeiro, Record.
  33. OLIVEIRA, ARIOVALDO UMBELINO AMAZONIA: MONOPOLIO EXPROPRIAÇÃO, CONFLITOS. São Paulo, PAPIRUS
  34. PALO JR., H. (1992). Pantanal. Coração.
  35. PANESA, R.; PALO JR., H; TRESCA, J. (1989). Estação Ecológica do Taim.
  36. PEDRAZZI, IRIA. (1998). BANHADO DO TAIM. EDITORA MARES DO SUL.
  37. PINTO, M. N. (1994). Cerrado. Brasília, DF, Universidade de Brasília.
  38. POTT, ARNILDO. PLANTAS DO PANTANAL. ERNESTO REICHMANN DISTR.LIVROS.
  39. PROCOPIO, A. AMAZONIA ECOLOGIA DEGRADACAO SOCIAL. ALFA OMEGA,
  40. RANCY, A. (2000). Paleoecologia da Amazônia. Universidade Federal do Acre (UFAC).
  41. REITZ, P. R. & KLEIN, R. M. (1996). Araucariáceas. In: Flora Ilustrada Catarinense. Itajaí.
  42. RIBEIRO, J. F. (ed) (1998). Cerrado: matas de galerias. EMBRAPA.
  43. RIZZINI, C. T.; COIMBRA FILHO, A.; HOUAISS, A. (1988). Ecossistemas brasileiros. Rio de Janeiro, Index.
  44. RODRIGUES, R. R. & LEITÃO FILHO, H. DE F. (2000). Matas ciliares: Conservação e recuperação. São Paulo, Edusp.
  45. SANO, S. M. & ALMEIDA, S. P. de (1998). Cerrado: ambiente e flora. EMBRAPA.
  46. SANTOS, CORCINO M. DOS. AMAZONIA - CONQUISTA E DESEQUILIBRIO DO ECOSSISTEMA. THESAURUS.
  47. SATO, J. (1995). Mata atlântica: Direito ambiental e legislação. Hemus.SCHAEFFER-NOVELLI, Y. (1995). Manguezal: ecossistema entre a tera e o mar. Ed. da Autora.
  48. SHIKI, S., SILVA, J. G. da & ORTEGA, A. C. (1997). Agricultura, meio ambiente e sustentabilidade do Cerrado. EMBRAPA.
  49. WIDHOLZER, F. L. Banhados do Rio Grande do Sul.
  50. WEINSTEIN, BARBARA. BORRACHA NA AMAZONIA: EXPANSAO E DECADENCIA, A (C.ESTUDOS HI). São Paulo, HUCITEC.

3. Fauna silvestre
Obras para consulta esporádica, nas aulas, e fundamentais, nos projetos de Iniciação Científica.

3.1 Fauna silvestre & Unidades de Conservação
BARROS, LIDIA ALMEIDA. (2000). Vocabulário enciclopédico das Unidades de Conservação do Brasil. São José do Rio Preto, Departamento de Letras, Instituto de Biociências, letras e Ciências Exatas / UNESP. Encomendas com a autora: Rua Cristovão Colombo, 2265 CEP 15054-000 São José do Rio Preto, SP.
BERGALLO, H. de G. et al (2000). A fauna ameaçada de extinção do Estado do Rio de Janeiro. Ed. UERJ.
FUNDAÇÃO BIODIVERSITAS (1998). O livro vermelho das espécies ameaçadas de extinção da fauna de Minas Gerais. Fundação Biodiversitas.
SECRETARIA ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE DE SÃO PAULO (2000). As Unidades de Conservação do Estado de São Paulo - PROGRAMA ESTADUAL PARA A CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. São Paulo, Secretaria do Meio Ambiente.

3.2 Fauna silvestre: Vertebrados inferiores
ANZUATEGUI, I. A. & VALVERDE, C. C. (1998). Rações pré-calculadas para organismos aquáticos. Agropecuária.
BORGES, R. C. (1999). Serpentes peçonhentas brasileiras manual de identificação e procedimentos em caso de acidentes. Atheneu.
BRITSKI, H. A. et al (1999). Peixes do Pantanal: Manual de identificação. EMBRAPA.
FRANCISCO, L. R. (1997). Répteis do Brasil: manutenção em cativeiro. Ed. Autor.
KWET, A. & DI BERNARDO, M. (1999). Anfíbios. Ed. PUCRS.
MARQUEZ, R. (1996). Las tortugas marinas y nuestro tiempo. México, Fondo de Cultura Económica.
MARTINS, M. L. (1998). Doenças infecciosas e parasitárias dos peixes. FUNEP.
PAVANELLI, G. C. et al (1999). Doenças dos peixes. EDUEM/Nupelia.
SANTOS, H. S. L. dos & BLASQUEZ, F. J. H. (1995). Histologia de peixes. Jaboticabal, FUNEP.
VAZZOLER, A. E. A. de M. (1996). Biologia e reprodução de peixes teleósteos. EDUEM/SBI/CNPq/Nupelia.
ZAVALA-CAMIM, L. A. (1996). Introdução aos estudos sobre alimentação natural em peixes. EDUEM/Nupelia.

3.3 Fauna silvestre: Aves
ANDRADE, MARCO ANTONIO DE. (2000). A vida das aves. Fundação Acangaú.
BENEZ, S. M. (1999). Aves: criação, clínica, teoria e prática. Robe.
DANI, S. (coord). (1993). Ema (Rhea americana): biologia, manejo e conservação. Fund Acangaú.
SICK, H. (1985). Ornitologia brasileira, uma introdução. Brasília, DF, Universidade de Brasília.
3.4 Fauna silvestre: Mamíferos
DINIZ, L. de S. M. (1997). Primatas em cativeiro manejo e problemas veterinários. Ícone.
DUARTE, J. M. B. (ed). (1997). Biologia e conservação de cervídeos brasileiros. FAPESP/FUNDEP/UNESP.
KINDLOVITS, A. (1999). Clínica e terapêutica em primatas neotropicais. Ed. UFJF.
OLIVEIRA, T. G. de & CASSARO, K. (1999). Guia de identificação de felinos brasileiros. Sociedade de Zoológicos brasileiros.

SILVA, F. (1994). Mamíferos silvestres do Rio Grande do Sul. Fund. Zoobotânica do Rio Grande do Sul.

4. Bioclimatologia

4.1 Obras básicas
BRASIL (ESCRITÓRIO DE METEOROLOGIA) - Atlas Climatológico do Brasil; reedição de mapas selecionados. Rio de Janeiro, Divisão de Cartografia do IBGE, 1969.
FRANCO, E. - Chuvas no Brasil: uma classificação ecológica. Primeiro volume. 1979.
HAFEZ, F. S. E. (1982). Adaptación de los Animales Domésticos. Barcelona, Editorial Labor. [escolher a edição mais recente]
MÜLLER, P. B. (1982). Bioclimatologia aplicada aos animais domésticos. Porto Alegre, Sulina. [este é o livro-texto adotado; deve haver muitos exemplares]
NAAS, I. A. - Princípios de Conforto Térmico na Produção Animal. São Paulo, Ícone. 1989.
PEREIRA, J. C. & MIRANDA, J. J. F. - Bioclimatologia animal. Belo Horizonte, 2ª edição. 1980.

WILLIANSON, G. & PAYNE, W. J. A. (1978). An Introduction to Animal Husbandry in the Tropics. New York, Longman. [ver se há edição mais recente]

4.2 Construções e ambiência animal

CARNEIRO, O. (1986). Construções Rurais. São Paulo, Nobel. 12ª Ed. 719p.
DE LUCA, R. R. et al. (1996). Manual para técnico em bioterismo. São Paulo, Rothchild. 2ª edição.
DOBSON, C. - (1981) Construcciones para la explotacione porcina. 2ª ed. Zaragoza, Acribia. 159p.
EMBRATER - (1982) Manual Técnico Pecuário de Leite. Sudeste. Brasília, Empresa Brasileira de Assistência Técnica e Extensão Rural. 261p.
EMBRATER (1981). Manual Técnico Suinocultura - Sul. Série Manuais, n° 12. Brasília, Empresa Brasileira de Assistência Técnica e Extensão Rural. 196p.
ENGLERT, S. (1978). Avicultura. 2ª Ed. Revista e Ampliada. Porto Alegre, Livraria e Editora Agropecuária. 288p.
FABICHAK, I. (1986). Criação racional de rãs. São Paulo, Nobel. 69p.
FERREIRA, M.G. (1982). Corte e Postura. Porto Alegre, Editora Centaurus. 118p.
GALLI, L.F. & TORLONI, C.E.C. (1984). Criação de peixes. São Paulo, Nobel. 119p.
GARCIA-VAQUERO, E. (1981). Projecto e Construção de Alojamento para Animais. 2ª Ed. Lisboa, Litexa. Portugal. 237p.
GODINHO, J.F. (1983). Suinocultura: Tecnologia e Viabilidade Econômica. 2ª ed. São Paulo, Nobel. 323p.
IAC (1985). Curso de avicultura - 5ª ed. Campinas, Inst. Campineiro de Ensino Agrícola. 331p.
JARDIM, W.R (1985). Curso de Bovinocultura. 6ª ed. Campinas, Inst. Campineiro de Ensino Agrícola. 525p.
KUPSCH, W. (1986). Construção e uso prático de aviários e gaiolas para pintos, frangos e poedeiras. São Paulo, Nobel. 231 p.
KUPSCH, W. (1986). Criação e Manutenção de Perus e Gansos. 7ª ed. São Paulo, Nobel. 88p.
LONGO, A.D. (1986). Manual de ranicultura: uma nova opção da pecuária. 3ª ed. São Paulo, Ícone,. 221p.
MALAVAZZI, G. (1986). Manual de criação de frangos de corte. 2ª ed. São Paulo, Nobel. 163p.
MALAVAZZI, G. (1986). Avicultura: Manual Prático. 5ª ed. São Paulo, Nobel. 156p.
MARTIN, L.C.T. (1987). Confinamento de bovinos de corte. São Paulo, Nobel. 122p.
MEDINA, J.G. - (1975) Cunicultura: a arte de criar coelhos. Campinas, Inst. Campineiro de Ensino Agrícola. 183p.
MICHELETTI, J.V. & CRUZ, J.T. (1985) Bovinocultura Leiteira: Instalações. 3ª ed. Curitiba, Editora Lítero-Técnica,. 359 p.
PEREIRA, M.F. (1978). Construções Rurais, vol. 1. São Paulo, SP, Livraria Nobel SA 231p.
PEREIRA, M.F. (1983). Construções Rurais. vol. 2. São Paulo, SP, Livraria Nobel SA, 104p.
SANTOS, V.T. (1986). Ovinocultura: princípios básicos para sua instalação e exploração. 2ª ed. São Paulo, Nobel, 167p.
SOUZA, E.C.P.M. e TEIXEIRA FILHO, A.R. (1985). Piscicultura Fundamental. Campinas, Nobel/CAIC, 88 p.
TORRES, A.D.P. (s/d). Criação Prática de Suínos. 4ª ed. São Paulo, SP, Edições Melhoramentos (Criação e Lavoura, n° 20), 128 p.
VIANNA, A.T. (1986). Os Suínos: criação prática e econômica. 15ª ed. São Paulo, Nobel, 384p.
VIEIRA, M.I. (1977). Coelhos, Instalações e Acessórios. 4ª revista. São Paulo, Nobel. 152p.
VIEIRA, M.I. - (1985). Instalações para rãs. 3ª ed. São Paulo, Nobel, 130p.
VIEIRA, M.I. (1986) Coelhário: instalações adequadas, maiores lucros. São Paulo, Nobel. 160p.
VIEIRA, M.I. (1986). Rãs: criação prática e lucrativa. 5ª ed. São Paulo. Nobel, 229 p.
YANCEY, D.R. & MENEZES, J.R.R. - (1986). Manual de criação de peixes. Campinas, Inst. Campineiro de Ensino Agrícola, 117p.
WOYNAROVICH, E. (1985) Manual de piscicultura. Brasília, DF, Codevasf. 71p.

5. Obras de interesse para a Medicina Veterinária

CARRAMENHA, ROBERTO (2000). Direito da natureza. São Paulo, Ed. Mantiqueira. Caixa postal 12.814 CEP 04010-970 - SP - tel 287 0737 fax 251 0234.
CARRERA, M. (1991). Insetos de interesse médico e veterinário. Ed. da UFPR.
CENTENO, A. J. (1999). Curso de estatística aplicada à Biologia. Ed. UFG.
FREITAS, VLADIMIR P. & FREITAS, G. P. (1992) Crimes Contra a Natureza. São Paulo, Editora Revista dos Tribunais.
LEVAÍ, LAERTE FERNANDO. (1999). Direitos dos animais. Ed. Mantiqueira. Caixa postal 12.814. cep 04010-970. sp tel. 287-0734 / 251-0234.
PRADA, IRMENIA. (2000). A alma dos animais. São Paulo, Ed Mantiqueira. Caixa postal 12.814 CEP 04010-970 - SP - tel 287 0737 fax 251 0234.
PRESTES, M. E. B. (2000). A investigação da natureza no Brasil Colônia. São Paulo, Annablume.
TAUNAY, A. E. (1998). Monstros e monstrengos do Brasil: Séculos 17 e 18. São Paulo, Cia. das Letras (Coleção Retratos do Brasil).
TAUNAY, A. E. (1999) Zoologia fantástica do Brasil - Séculos 16 e 17 . São Paulo, Edusp/Museu Paulista.
VALENTIN, J. L. (2000). Ecologia numérica: Uma introdução à análise multivariada de dados ecológicos. Interciência.

Segue também uma listagem de fitas de vídeo:
CPT Centro de Produções técnicas - (0xx31) 3891-7000
Cód. 133 - Criação comercial de papagaios, araras e maritacas
Cód. 092 - Criação de ema
Cód. 212 - Abate e comercialização de animais silvestres

[voltar]  Abertura


[ABERTURA] [ ANIMAIS DE BIOTÉRIO] [ANIMAIS SILVESTRES] [AVES] [BOVINOS] [BUBALINOS] [CAPRINOS] [COELHOS] [CHINCHILAS] [EQÜINOS] [OVINOS] [SUÍNOS] [BIBLIOGRAFIA] [CIÊNCIAS AMBIENTAIS] [IMPRIMIR] [MAPA DO SITE] [VOLTAR]

[Envia mensagem]

atualizado em: setembro/2002

Copyright (c) 2001-2002 Armando José Capeletto Todos os direitos reservados