[logo] Bioclimatologia animal on line

pesquisa e criação: Armando José Capeletto

 

E-mail: ciamb@terra.com.br

Caixa Postal 178 - CEP 068970-001

Embu - SP - BRASIL

Coelhos

 

Origem

  • Provavelmente, Norte da África e Europa Mediterrânea.

  • A origem geográfica dos coelhos é incerta, uma vez que sua vasta distribuição geográfica atual deve-se, em grande parte, à disseminação feita pelo homem.

  • Desde o século III a. C., o coelho já era criado pelos romanos em parques e jardins, no sistema de liberdade, para a produção de carne para os legionários.

  • Até o século XVII, eram conhecidas 3 raças, descendentes do ancestral selvagem ou agouti (ao lado); atualmente, existem mais de 60 raças, das quais pelo menos 18 são criadas no Brasil

  • Existe um coelho silvestre brasileiro (gênero Silvilagus), conhecido como tapiti, relativamente raro e pouco estudado. Não se conhecem alternativas de domesticação dessa espécie.

  • Aptidões:

    • Carne
    • Pele.
    • Esterco
    • Indústria farmacêutica e de vacinas (láparos).

 

[coelho aguti]

coelho agouti

(Oryctolagus cuniculus)

 

Atributos anatomofisiológicos

  • Coelhos e lebres pertencem à ordem dos mamíferos lagomorfos (Lagomorpha), diferindo dos roedores (Rodentia) por possuírem dois pares de incisivos em bisel, de crescimento contínuo e dotados de raiz. Além disso, os lagomorfos possuem apenas movimento lateral da mandíbula, enquanto que os roedores movem-na tanto lateralmente como para frente e para trás.

  • Sua articulação do cotovelo (rádio-ulna) não possui rotação, enquanto que a dos roedores verdadeiros, sim.
  • Os coelhos são herbívoros de alta conversão alimentar - cerca de 3,5:1, muito superior à do gado bovino.

  • Realizam a coprofagia, isto é, ingerem as fezes noturnas, reaproveitando água e nutrientes. Por isso seu esterco é de alta qualidade para hortas e pomares, havendo estudos sobre a possibilidade de ser incluído na dieta de outros animais (suínos, aves, peixes) como substituto parcial da ração.

  • Por serem de origem européia, resistem bem ao frio e sofrem no calor.

  • Sua cobertura de pelos garante a conservação do calor corporal, mas dificulta sua dissipação.

  • Na maior parte do país, exigem manejo especial nos meses de verão.

  • O calor pode provocar aborto nas coelhas.

  • Temperatura retal normal entre 38,5ºC e 39,5ºC.

  • Freqüência respiratória entre 30 e 60/min.

  • Freqüência cardíaca entre 205 e 235/min.

Principais mecanismos termorreguladores
  • Falta de apetite.

  • Torpor térmico - ficam esticados no fundo das gaiolas, demonstrando grande fadiga; esse torpor, contudo, é diferente do que ocorre nos suínos, pois é sintoma de hipertermia e estresse.

  • Taquipnéia intensa - a freqüência respiratória supera 230/min.

  • Morte por calor: "os animais ficam muito agitados, começam a dar pulos pela gaiola, caem e morrem dando gritos lancinantes" (MÜLLER, 1989) .

Exemplos de raças de coelhos:

 

 

[coelho chinchila]

coelho chinchila

 

[califórnia]

califórnia

[negro e fogo]

negro e fogo

[ninhada]

ninhada de nova zelândia branco

[nova zelândia vermelho]

nova zelândia vermelho

[coelho angorá]

coelho angorá


[VOLTAR]

Copyright (c) 2001-2002 Armando José Capeletto * Todos os direitos reservados