logo universidade             Bioclimatologia animal on line
                                     pesquisa e criação: Armando José Capeletto

        Introdução

        A Bioclimatologia aplica o conhecimento sobre o clima e os conceitos básicos de clima e conforto às relações com os seres vivos.

        Experimentem os links disponíveis e mandem seus comentários... Periodicamente novos links serão adicionados.

           Ambiência e construções rurais

           Noções sobre ambiência e bem estar animal

           Provas bioclimatológicas de campo

           Efeitos do clima tropical sobre os animais domésticos

           Noções sobre melhoramento genético e adaptabilidade

           Dados sobre a reprodução dos animais domésticos

        Homeotermia e Conforto Térmico

        Nos vertebrados endotérmicos, isto é, capazes de manter o controle endógeno da temperatura (aves e mamíferos), a temperatura corporal normal varia de 35 a 41º C. Os valores considerados normais variam conforme a literatura consultada, mas, em geral, aceitam-se os valores apresentados na Tabela I, abaixo.

        A manutenção da temperatura corporal implica em:

        1. Captar informações sobre a temperatura ambiental através dos receptores sensoriais de calor e frio;

        2. Desencadear mecanismos fisiológicos homeostáticos, controlados por um centro termorregulador, localizado no hipotálamo (SNC).

O hipotálamo controla a produção e a dissipação de calor, através de vários mecanismos:

· mecanismo vasomotor (vasoconstrição ou vasodilatação);
· ereção de pelos;
· sudoração;
· freqüência respiratória; e
· taxa metabólica.

        Gradiente térmico corporal: A distribuição de calor pelo corpo não é homogênea e varia de órgão para órgão. A temperatura no cérebro, fígado, coração e outros órgãos ativos podem estar 1 a 2 ºC mais alta do que a do sangue na carótida. Existe, portanto, um gradiente térmico corporal, que vai do interior do corpo (núcleo central) para a periferia.

        A temperatura retal (tr) é uma temperatura local, usada como referência pela facilidade de medida e por indicar a temperatura do núcleo central, constituído pelas vísceras.
        A pele normalmente está 4 a 5 ºC abaixo da tr.

        BURTON propôs a seguinte fórmula, para cálculo da temperatura basal:

Tb = 0,65tr + 0,35tp

onde: Tb = temperatura basal; tr = temperatura retal; tp = temperatura da pele

 
Temperatura retal (ºC)

Freqüência respiratória (nº/min)

Pulsações (nº/min)
Fonte
Aves
41.0
   
a
Bovinos
38.33 (37 a 39)
10 a 30
36 a 80
b
Cão
38.8
   
a
Ovinos
39.1 (38 a 40)
12 a 20
70 a 80
b
Caprinos
38,5 a 39,5
12 a 20
70 a 80
b
Suínos
39.2
10 a 20
60 a 80
b
Eqüinos
37.6
10 a 14
28 a 40
b

                  Fontes: a - MÜLLER, 1989. b - FRANÇA, 2000.

Tabela I - Alguns parâmetros fisiológicos dos animais domésticos.

        Zona de Conforto Térmico (ZCT)
        No homem, a ZCT é a faixa de temperaturas ambientais em que a temperatura corporal se mantém constante com o mínimo de esforço do sistema termorregulador e não existe sensação de frio nem calor. Nos animais, essa definição é inaplicável, uma vez que a sensação de frio ou calor é um dado subjetivo. Assim, assume-se que, em um animal dentro da ZCT, não existe vasodilatação ou vasoconstrição, piloereção, nem alterações metabólicas.

        Temperatura Crítica
        É a temperatura ambiental abaixo ou acima da qual o animal perde a capacidade de manter sua temperatura fisiológica normal. Costuma-se falar em Temperatura Crítica Máxima (TC max) e Temperatura Crítica Mínima (TC min).

        Temperatura Letal
        Conforme variam as condições ambientais, os animais saem de sua Zona de Conforto Térmico e começam a funcionar os mecanismos termorreguladores. A partir de um certo limite, esses mecanismos não são suficientes e ocorre a hiper ou hipotermia.
        Quando a temperatura ambiental atinge situações extremas, o animal morre. Fala-se, então, em Temperatura Letal Superior (TLS) e Temperatura Letal Inferior (TLI).

        Diagrama das Temperaturas
        HAFEZ (1973) propôs um diagrama de temperaturas em que são esquematizadas as diferentes faixas, aquém e além da ZCT, onde os animais manifestam respostas adaptativas em função do frio ou do calor (Figura 1). Note-se que esse diagrama só tem significado quando o animal vive permanentemente sob determinada condição ambiental. O gráfico não se aplica a variações ocasionais que possam ocorrer no ciclo dia-noite, por exemplo.

[diagrama das temperaturas]

Figura 1 - Diagrama das temperaturas (redesenhado de HAFEZ, 1973).

        Respostas dos animais às variações de temperatura

 
Calor
Frio
                            Respostas comportamentais
Insolação
buscam sombra
buscam sol
Umidade
buscam lugares molhados
buscam lugares secos
Vento
buscam exposição ao vento
buscam refúgio do vento
Piso
buscam pisos frios
buscam pisos quentes
Consumo de água
aumenta
diminui
Consumo de alimento
diminui
aumenta
                            Respostas fisiológicas rápidas
Posição dos pelos
pelos em posição normal
piloereção
Sudoração
intensa
ausência de suor
Vasos sangüíneos
vasodilatação
vasoconstrição
Respiração
taquipnéia
bradipnéia
Metabolismo
diminuição
aumento
                            Respostas fisiológicas lentas
Cobertura dos pelos
diminuição
aumento
Espessura da pele
diminuição
aumento
Gordura subcutânea
diminuição
aumento
Secreção de tiroxina
diminuição
aumento

[VOLTAR]

[Envia mensagem]

atualizado em: junho/2002

Copyright (c) 2001-2002 Armando José Capeletto Todos os direitos reservados